Notícias

Melhores práticas para gerir o passivo trabalhista

Com o atual cenário econômico brasileiro de instabilidade e crises econômicas, as empresas lidam diariamente para que esses impactos não interfiram no  planejamento estratégico das organizações. Desta forma, buscam alternativas para o gerenciamento dos passivos trabalhistas, visando reduzir os efeitos de instabilidade no seu negócio. 

Os passivos trabalhistas consiste em a soma das dívidas que são geradas quando o empregador  não cumpre com suas obrigações ou não realiza de maneira correta o recolhimento dos encargos sociais. Tem-se como aceitável uma quantidade de ações trabalhistas de 10% do número total de funcionários, acima disso a empresa pode ter severos problemas. 

  O objetivo para gerenciar os passivos trabalhistas de uma empresa é para que se consiga atingir metas de crescimento e manter o faturamento do negócio. E, para isso, os empresários estão optando por cortes severos no orçamento, visto que a economia não volta a crescer. 

Diante desses cortes, é importante ressaltar que por se tratar de direito trabalhista, o gasto que pode gerar com ações na justiça do trabalho,  resultando, em muitos casos, um ativo ainda maior para as organizações. Com isso, é necessário haja um planejamento eficiente para que esses cortes de custos para não converta-se em um risco financeiro. 

A grande maioria das reclamações trabalhistas diz respeito ao pagamento de horas extras, a melhor maneira para evitar que a empresa possa ter problemas futuros com o pagamento de horas trabalhadas a mais é com a inserção de um bom controle de ponto, seja mecânico ou digital, para se ter a certeza que o pagamento de horas está correto, sem  que haja falhas na contagem ou omissão de informação. 

A organização interna do RH também pode diminuir o passivo trabalhista, se a empresa possuir um software para a produção de folhas de pagamentos o risco de erros é quase zerado. 

É importante destacar que o trabalhador assine a todos os documento e confira todos os dados, caso haja algum erro, que este seja solucionado na hora, para não acarretar em problemas futuros. Esses documentos devem ficar bem armazenados, visto que é necessário um arquivo digital ou físico impecável para cada funcionário. 

O acompanhamento de fluxo de passivos trabalhista é de extrema importância para ser realizado uma boa gestão dos passivos, tendo em vista que através deste é possível mensurar de maneira efetiva quais são os gastos necessários para o pagamento de cada execução, permitindo muitas vezes a antecipação de valores, em casos de acordo, que pode resultar em solução mais efetiva e menos onerosa.

A revisão dos passivos garante que os valores previstos fiquem mais aproximados das quantias devidas, não ocasionando riscos indesejados. Para isso, deve ser feito os cálculos conforme as regras de cada pleito, ou seja, de forma individual e bem organizada, dessa forma tem-se a necessidade de manter todos os dados dos funcionários organizados e atualizados. 

Tendo em vista as inúmeras medidas que podem ser tomadas para reduzir os passivos trabalhistas, vale ressaltar que a principal dela é investir em uma advocacia preventiva, para que tenha uma organização e fiscalizaçao para que o RH sempre aja de acordo com as normativas trabalhistas. 

Para que se tenha uma boa gestão é importante que a relação entre empregado e empregador seja pautada no respeito, confiança e que esteja sempre de acordo com as leis trabalhistas para diminuir os problemas futuros que a empresa possa vir a enfrentar.

Ainda tem dúvidas sobre este tema? Entre em contato com um de nossos especialistas, eles terão o prazer em lhe ajudar. Fale conosco pelo WhatsApp aqui ou através do telefone (16) 3415-1599.

Contato

Av. Dr. Carlos Botelho, 3526, sala 04, Vila Deriggi, São Carlos-SP, CEP – 13.569-230

(16) 3415-1599
(16) 99745-3332

Horário de atendimento
das 9h00 às 17h00.

© 2019 Businaro – Todos direitos reservados. Desenvolvido por 3MIND.